Como gerenciar informações e conhecimento nos planos individuais e coletivos, otimizando resultados com as ferramentas adequadas.

Quando pensamos em utilizar as competências coletivas e democratizar o conhecimento focando em resultados e aprimoramento profissional, estamos falando em Gestão do Conhecimento (Knowledge Management). Ao aplicá-la na área de segurança conquistamos credibilidade e qualidade na gestão ou prestação de serviço, contribuindo para continuidade do negócio da empresa ou manutenção de contratos, prevenindo perdas e danos.
O conceito de Business Inteligence (BI) deve estar presente nesse processo, pois informações armazenadas sem a devida análise e apresentação não trarão resultados. Relatórios gráficos apresentados em Dash Boards online em centrais de controle ou em relatórios executivos são um diferencial.
Sistemas informatizados com aplicativos integrados são aqueles desenvolvidos para gestão de funcionários (Work Force Management – WFM), de incidentes (Incident Management System- IMS), de ativos à distância (Internet Of Things- IoT), entre outros.
O sistema de Gerenciamento de Documentos (GED) permite arquivar, controlar e compartilhar dados como procedimentos, legislação, convenções coletivas, projetos e mais. Assim, a análise de relatórios, documentos e boletins de ocorrências, viram aprendizagem reduzindo a probabilidade de falhas e contribuindo para o sucesso da organização.
Mas compartilhar o conteúdo deve ser tão organizado quanto armazená-lo. Direcionando informações, integrando um Sistema de Gerenciamento e Tecnologia, aumentamos a qualidade e disponibilidade das informações para todas as áreas da Segurança, ainda mais com o uso de smartphones, tabletes, aplicativos, telemetria e modernos bancos de dados.
Com uma estratégia bem elaborada de endomarketing e gestores comprometidos e atuantes, barreiras comuns como a resistência ao novo e falta de métodos de análise e avaliação serão facilmente superadas. Mas há ainda de se considerar outras questões importantes que podem fazer total diferença nos processos diários.
No espaço organizacional há sempre uma grande demanda de informações e, para que seus colaboradores possam desenvolver qualquer atividade ou tarefa com sucesso, elas necessitam ser devidamente tratadas e analisadas para atender às necessidades demandadas.
De acordo com Carvalho (2001, p.46¹) é preciso se atentar que, assim como informação não é um coletivo de dados, conhecimento também não é um coletivo de informações. Os dados dependem de um contexto para se transformar em informação, assim como as informações precisam de contexto, somado ao talento humano, para gerar conhecimento.
Uma pessoa pode ter acesso a inúmeras informações, mas se não souber interpretá-las e traduzi-las em uma realidade, não estará gerando conhecimento.

Referências 
¹CARVALHO, G. M. R.; TAVARES, M. S. Informação & conhecimento: uma abordagem organizacional. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2001.

Kellen Reis
Jornalista
MTB – 57581 SP

× WhatsApp Clique Aqui