Equipamento híbrido é a aposta dos gestores de segurança para fortalecer monitoramento diurno e noturno

As novas tecnologias revolucionaram a forma como enxergamos o mundo e a área da segurança não ficou de fora dessa evolução. Essas novas ferramentas aliam a alta tecnologia com segurança e praticidade, oferecendo qualidade nos resultados.
Na Gestão Empresarial e Patrimonial de Segurança podemos citar que uma das tecnologias que vem ganhando mais destaque é o Drone com Visão Noturna, uma ferramenta que vem revolucionando esse mercado. Mesmo sendo mais utilizado nos dias atuais na segurança pública, o barateamento desse tipo de equipamento vem permitindo cada vez mais sua utilização na segurança patrimonial privada.
Uma das principais vantagens do uso dos drones para segurança patrimonial em instalações de grandes proporções é permitir mapeamentos dessas áreas com precisão e economia, como condomínios horizontais, portos, aeroportos, refinarias e hidrelétricas.
O alcance da câmera de visão noturna de um drone é bem maior que de um ser humano e de uma câmera fixa ou móvel. Um dos ganhos do drone é altura, possibilitando ver o perímetro de cima, sem precisar de uma guarita elevada ou uma câmera em um poste muito alto. O drone abrange grandes distâncias ou pontos complicados, como do outro lado de um muro ou cerca, por exemplo, de onde normalmente vem o risco de invasões. E o tipo de câmera é o que pode fazer toda a diferença no equipamento e no serviço.
A câmera de visão noturna é híbrida e funciona tanto de dia quanto à noite, e a tecnologia possibilita uma ação mais rápida e focada, já que o sistema analisa a imagem e avisa o operador se houver alguma movimentação suspeita ou fora do comum.
Eytan Magal Soluções e Gerenciamento de Segurança Ltda. recomenda a aplicação deste recurso, e é sugerido que seja fornecido como serviço pela empresa de vigilância, que se responsabiliza pela operação.
Legislação
No Brasil as operações de Drones devem seguir as novas regras da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), que são complementares aos normativos de outros órgãos públicos como o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) e da Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL).
Nas operações realizadas com drones com peso máximo de decolagem superior a 250g, os operadores deverão portar documentos obrigatórios. Dentre eles estão o manual de voo, documento de avaliação de risco e apólice de seguro. Leia mais sobre os documentos exigidos pela ANAC para cada uma das classes no guia de Perguntas frequentes. (https://goo.gl/6Z6R54).
Ameaças
Os meliantes utilizam drones para levantar informações, escolher alvos a ser atingidos e apoiar operações criminosas, como invasões, sequestros, explosões e etc. Por isso a equipe de segurança patrimonial deve ser treinada para identificar drones e empreendimentos devem ter equipamento de detecção e neutralização de drones.
A utilização desta tecnologia requer um investimento e treinamento específico, que compreende capacitar e paramentar as equipes para o uso dessa ferramenta, e considerar essa ameaça.
Aproveite a revolução tecnológica e utilize o drone de acordo com sua necessidade. Nossa equipe de consultores pode apoiar na implantação desta tecnologia e conceito de proteção. Mande um e-mail para contato@eytanmagal.com.br.

Consultoria técnica: Eytan Magal – CPP.

Piero Caíque Souza

Jornalista MTB/AM 589

Cabum Comunicação Empresarial

× WhatsApp Clique Aqui