Como realizar os processos com qualidade e garantir bons resultados na contratação de profissionais

 

Você já conferiu aqui em nosso blog quais são os 5 fundamentos da Gestão de Segurança e porque eles precisam ser desenvolvidos de forma adequada. E para que seja possível aplicar esses conceitos de maneira eficiente, vamos apresentar ao longo dos meses um pouco sobre cada um deles, o que envolve e como deve ser trabalhado.

A Gestão de Pessoas é um dos fundamentos mais importantes e também mais complexos, pois envolve uma série de etapas, cuidados e critérios. E dentro desse fundamento, o primeiro passo é cuidar do Recrutamento e Seleção, exatamente nessa ordem, pois primeiro é necessário recrutar e só depois selecionar.

Recrutar não é uma das tarefas mais simples, pois são inúmeras as fontes disponíveis no mercado atual, desde sistemas de busca online, editais, inscrições pelo site, utilização de agências especializadas e plataformas digitais, sem contar as tradicionais indicações, anúncios, assistências sociais e até mesmo órgãos governamentais que trabalham com a indicação de profissionais.

É fundamental ter em mãos uma descrição correta do cargo que se pretende preencher e definir o que está se buscando, para que não haja confusão no processo seletivo e consequentemente, perda de tempo de ambos os lados.

Para isso, dentro do universo de Recursos Humanos, há uma forma técnica de elaboração da descrição de cargo:

Juntamente à descrição das atividades que o candidato irá executar, deve-se descrever as Competências = CHA (Conhecimento + Habilidade + Atitude).

Então, faça uma lista que contemple cada fator e analise se ficou clara a informação do que está se buscando nesse profissional. A empresa pode utilizar inúmeros veículos de comunicação para anunciar a vaga em aberto, mas fica a seu critério se constará no anúncio dados relativos a remuneração e benefícios ou até mesmo ao cargo. E não deixe de fora os candidatos que vierem por indicação, pois ainda é uma das melhores maneiras de se contratar.

Mas há ainda uma outra forma de se considerar esses critérios. Caso já tenha em mãos alguns currículos, organize em uma planilha os dados pessoais de cada candidato e crie filtros para os padrões que considera importante nessa seleção, como a experiência profissional, distância do local de moradia, cursos realizados na área etc. Em seguida, basta cruzar as informações para identificar quais os perfis mais adequados à sua necessidade ou pode utilizar um sistema informatizado específico para esse fim.

O próximo passo envolve a triagem entre os candidatos recrutados nessa primeira etapa para que, em seguida, sejam submetidos a um novo processo como testes de conhecimento e desempenho e testes psicológicos. Não deixando de lado, claro, a entrevista que é um dos pontos principais da seleção, dando a noção mais ampla sobre qualificação, potencial e motivação do candidato ao cargo.

Mas qual o modelo mais eficaz de se fazer uma entrevista? Que critérios devem ser considerados nessa etapa? Que metodologia deve ser aplicada para conseguir extrair as respostas que transmitam os reais conhecimentos e aspirações do candidato? É isso que vamos descobrir juntos no próximo mês, aqui mesmo no blog, então não deixe de acompanhar!

 

 

Consultoria técnica:

Eytan Magal – CPP.

Letícia Diniz – Profissional de Gestão de Pessoas

Kellen Reis

Jornalista MTB/SP 5758

Cabum Comunicação Empresarial

 

× WhatsApp Clique Aqui